Conhecendo um pouco sobre e-business e e-commerce - REDE IPIRÁ WEB

Post Top Ad



Conhecendo um pouco sobre e-business e e-commerce

Share This
Na medida em que a Internet se popularizou e também os usuários passa‑ ram a fazer parte da “www” no início da década de 1990, o termo comércio eletrônico passou a ser utilizado e suas aplicações começaram a se expandir, tudo isso devido ao desenvolvimento de novas redes, protocolos, softwares e especificações, e, principalmente, ao aumento da competitividade e das pressões de negócios. Os termos e‑business e e‑commerce frequentemente são confundidos, pois as pessoas acham que são a mesma coisa, porém, Deitel et al. (2004) define que e‑commerce envolve trocas entre clientes, parceiros comerciais e fornecedores, e e‑business é composto dos mesmos elementos, mas incluindo as operações realizadas de acordo com o próprio negócio (produção, desenvolvimento, infraestrutura, gerenciamento de produtos etc.).

Comércio eletrônico, também chamado e‑commerce, nada mais é do que o processo de compra, venda e troca de produtos, serviços e informações por meio de redes de computadores ou pelo uso da Internet. Kalakota e Whinston (apud TURBAN; KING, 2004) definem o comércio ele‑ trônico usando as perspectivas de comunicação, de processo comercial de ser‑ viços e on‑line, onde, na perspectiva de comunicação, colocam que o comércio eletrônico e a distribuição de produtos, informações e serviços por qualquer meio eletrônico, na perspectiva de processo comercial, são a aplicação da tecnologia para automação das transações e dos processos de negócio. Já na perspectiva de serviços, é uma ferramenta que satisfaz as necessidades das empresas, consumi‑ dores e gestores no que tange a redução de custos e o aumento da qualidade e agilidade no atendimento, e, por fim, na perspectiva on‑line e na oportunidade de realização de compra e venda de produtos e de informações via Web.

As transações de comércio eletrônico podem ser feitas entre diversos atores. Os tipos mais comuns de e‑commerce são: Business-to-business (B2B): são transações na qual os participantes (ven‑ dedores e compradores) são pessoas jurídicas. Verifica‑se que a maior parte do volume de transações de e‑commerce é desta modalidade. Business-to-consumer (B2C): são transações em que os vendedores são empresas e os compradores são pessoas físicas, também chamadas de e‑tailing. Consumer-to-business (C2B): nesta modalidade, os vendedores (pessoas físicas) tornam conhecida uma necessidade específica por um produto ou serviço, e os compradores (pessoas jurídicas) competem para oferecer o produto ou serviço para os consumidores. Consumer-to-consumer (C2C): é um tipo de negócio onde os vendedores e os compradores são pessoas físicas, isto é, indivíduos vendendo produtos e serviços um ao outro. Business-to-business-to-consumer (B2B2C): é um tipo de categoria na qual uma empresa (pessoa juridíca) oferece produtos e serviços a outra empresa que seja sua cliente, e esta, por sua vez, possui seus próprios clientes para os quais o produto ou serviço é repassado. 
 Comércio colaborativo (commerce): nesta categoria, os parceiros empre‑ sariais (pessoas físicas ou jurídicas) colaboram eletronicamente, em vez de comprar e vender. Comércio móvel (m-commerce): é um tipo de comércio realizado em um ambiente sem fio, e para usá‑lo é só acessar a Internet por meio do dispositivo móvel e realizar a compra. Comércio intraorganizacional: é uma categoria que abrange todos os processos internos que envolvam a troca de produtos, informações ou serviços entre diferentes unidades e indivíduos de uma empresa, ocorrendo frequentemente por meio das Intranets e de portais corporativos. Business-to-employees (B2E): é uma modalidade na qual uma empresa oferece produtos e serviços a seus funcionários. Government-to-citizen (G2C): nesta modalidade, uma entidade gover‑ namental adquire produtos e serviços de empresas ou de cidadãos, ou ainda, oferece esses bens a tais empresas e cidadãos. Exchange-to-exchange (E2E): é um espaço de troca eletrônica em um mercado eletrônico público no qual há diversos compradores e ven‑ dedores, e à medida que o número de participantes aumenta, mais trocas ocorrem. CE nonbusiness: é um tipo de comércio cada vez mais utilizado por empresas não comerciais (empresas sem fins lucrativos, religiosas, sociais e agências de governo), que utilizam o comércio eletrônico para reduzir despesas ou aprimorar suas operações e serviços.

Post Bottom Ad